(11) 3571.0757
(11) 2359.0300
(11) 98257.7752



Morrer para Viver

Ninguém quer a morte, só saúde e sorte… Gonzaguinha

Morrer para viver é o conceito mais profundo na mensagem da maior religião do planeta, o Cristianismo.

É a essência dos ensinamentos de todas as escolas iniciáticas, desde as Escolas de Mistérios do Antigo Egito até as atuais Ordens Secretas.

Mas, ainda assim, a morte é tida como sombria, assustadora e, sobretudo, indesejada pela grande maioria das pessoas.

É como disse o poeta Gonzaguinha: “Ninguém quer a morte…”.

Entretanto, como afirma o excelente Leandro Karnal, professor da Unicamp, o fato é que ter medo da morte é ter medo do inevitável.

Temer a morte é como ter medo, por exemplo do por do sol, que independente de nossa vontade, aconteceu ontem, acontece hoje e vai acontecer amanhã.

E, ao fato singular da inevitabilidade da morte, o professor Karnal acrescenta que é ela, a morte, quem dá sentido à vida. É o fato de morrer que traz o sentido de viver.

Mas, o que é a morte?

Em uma definição convencional, a morte é a interrupção definitiva da vida de um organismo. Nessa concepção empobrecida em sua dimensão, morrer é perder a vida; finar-se, falecer ou expirar.

Entretanto, acredito que a morte pode também ser entendida como uma mudança de fase, como o fim de um ciclo ou também como uma oportunidade ímpar de renovação ou renascimento.

Relacionamentos fracassados precisam morrer para renascerem novas e saudáveis relações.

Ideias velhas precisam morrer para dar passagem a novos e revolucionários conceitos.

Instituições falidas precisam morrer para que novas instituições deem continuidade ao ciclo da vida no mundo.

E pessoas também precisam morrer. Ou melhor, pessoas podem morrer…

Então, apesar da inevitabilidade da morte, como momento derradeiro da vida, nós podemos fazer a escolha de morrermos simbolicamente todos os dias, para nascermos renovados no momento seguinte.

Em outras palavras, podemos buscar um sentido para as nossas vidas, morrendo diariamente, ou esperarmos que a morte venha ao nosso encontro apenas no momento da falência de nosso corpo.

Podemos escolher morrer para viver ou apenas esperarmos até que a Morte nos obrigue a morrer.

Mas, o que é “Morrer para viver”?

Morrer para viver é a escolha de desafiarmos as crenças que nos limitam. Matar essas crenças dentro de nós e escolhermos acreditar naquilo que nos torna melhores. Naquilo que dá maior sentido à nossa vida.

Morrer para viver é matarmos dentro de nós as ideias velhas, os preconceitos, os julgamentos viciados e as nossas limitações, para renascermos para uma vida mais plena, mais feliz e mais contributiva para o mundo.

Morrer para viver é matarmos dentro de nós os velhos hábitos que tornam a nossa mente preguiçosa e estacionada e adquirirmos novos hábitos, como por exemplo o hábito de nos perguntarmos regularmente se estamos de fato vivendo ou apenas sobrevivendo a cada dia.

O hábito de nos perguntarmos se estamos, de fato, usufruindo do milagre da vida ou se estamos apenas existindo um dia após o outro.

Diante disso surgem as grandes questões:

Quais as crenças que precisamos deixar de lado para nos tornarmos pessoas melhores?

Quais os medos que devem ser vencidos para termos mais fé na vida e em nós mesmos?

Quais os relacionamentos que devem ser mortos e enterrados de uma vez por todas para que nos sintamos mais felizes?

Quais os hábitos que precisam morrer para que assumamos o controle de nosso futuro?

E o que mais precisa morrer dentro de nós para atingirmos os nossos objetivos e realizarmos os nossos sonhos?

Pensar nessas questões é um jeito de simples de morrer para viver.

Mas, uma coisa é certa: Poucos são aqueles que terão a coragem de pensar verdadeiramente nessas questões, afinal a maioria de nós convive intensamente com o medo da morte, ainda que seja dessa morte simbólica que nos instiga para buscarmos um renascimento diário em nossas vidas.

Mas, e você, quer aprender a morrer para viver ou vai apenas viver à espera da morte?

Um forte e carinhoso abraço.

Clique aqui e deixe o seu comentário.

Flávio Lettieri é consultor empresarial e Sócio Diretor da Somma Consultoria. É especialista em coaching, empreendedorismo e desenvolvimento de atividades vivenciais. Visite nosso site www.sommaonline.com.br